Califórnia: Death Valley, o Vale da Morte

O nome parece assustador e, de fato, Death Valley, o Vale da Morte, na Califórnia, está longe de ser uma das regiões mais habitáveis do mundo. O Vale está localizado no deserto de Mojave, na divisa entre os estados da Califórnia e de Nevada e estende-se por cerca de 225 km. Este é o local mais seco dos Estados Unidos, sendo que maior temperatura já registrada no local foi 56,7ºC, em Furnace Creek Ranch, em 1913. Essa é a temperatura medida no ar, mas segundo medições de temperaturas no solo, em 1972, foram registrados 93,9°C! É por isso, que o Death Valley é considerado o lugar mais quente do planeta! Além de quente, o Vale é árido, tem picos nevados, cânions de pedras avermelhadas, dunas, bacias de sal, criando paisagens únicas.

A região recebeu esse nome quando perfurados e garimpeiros chegaram à região a partir de 1849, época que ficou conhecida como a “Grande Corrida do Ouro”. O esforço para atravessar  o Vale (que está localizado em uma grande depressão) até chegar às minas de ouro era muito grande e muitos garimpeiros acabaram falecendo do trajeto. Foi assim que o local acabou ficando conhecido por Death Valley, o Vale da Morte, devido às suas características áridas, e de difícil acesso.

O Death Valley já foi cenário de diversos s de Hollywood, tais como: Parque dos Dinossauros, Jornada nas Estrelas V, Planeta dos Macacos.

thumb_DSC00463_1024
Entrando no Death Valley

A VIAGEM PARA O DEATH VALLEY

Nossa viagem se iniciou no Vale do Silício e após pouco mais de 5 horas depois estávamos almoçando na pequena cidade de Mojave, com menos de 5 mil habitantes, que é um bom local para abastecer o carro e fazer alguma refeição. E foi só descer do carro que já percebemos que os próximos dias não seriam fáceis: 40ºC e um sol fortíssimo que chegava a queimar a pele em pouco tempo de exposição.

Distâncias até o Death Valley National Park:

  • Partindo de San Francisco: 820 km (570 km até Mojave)
  • Partindo de Los Angeles: 415 km (140 km até Mojave)
  • Partindo de Las Vegas: 230 km

No caminho até o Vale, a partir de Mojave, dentre várias possibilidades, é possível:

  • parar em pequeníssimos vilarejos como Randsburg, que era um antigo centro de garimpo e é conhecida como uma “cidade-fantasma”;
  • passar pelo Red Rock Canyon State Park, cenário de muitos filmes de faroeste;
  • conhecer o Trona Pinnacles, que consistem em mais de 500 picos de calcário colorido.
Estradas que parecem não ter fim no Death Valley
Estradas que parecem não ter fim no Death Valley

Antes mesmo de entrar no parque os nossos celulares pararam de funcionar. Por isso, caso você use Google Maps ou outras opções que dependem de acesso à internet, é melhor se programar com antecedência para evitar problemas. Veja no post “Planejando uma Road Trip pelos EUA” mais informações e dicas.

Estradas praticamente vazias
Hora de fazer uma graça em uma das estradas praticamente vazias

A lista completa de lugares para conhecer no Death Valley está no site oficial (em inglês) e pode ser acessado neste link.

Listamos aqui algumas sugestões de locais para conhecer no Death Valley, conforme a divisão das 4 regiões sugeridas no site oficial (Área de Panamint Springs, Área de Stovepipe Wells, Área de Scotty’s Castle e Área de Furnace Creek). Veja a localização no mapa abaixo:

  • Panamint Springs: um povoado que conta somente com um motel, um restaurante e um posto de gasolina. Nesta região fica o Father Crowley Point, um local com um mirante em que é possível observar um grande vão entre as montanhas, provocado por atividades vulcânicas, e uma salina distante.
thumb_DSC00459_1024
Placa indicando o povoado de Panamint Springs (distância em milhas)

thumb_DSC00576_1024
Vista do exuberante Father Crowley Point
Lindo paredão colorido na estrada da região de Panamint Springs
Lindo paredão colorido na estrada da região de Panamint Springs
  • Stovepipe Wells: uma pequena cidade que com uma decoração de velho-oeste e é um dos locais em que se pode comprar o ticket para o parque (caso você não tenha comprado o ticket anual antecipadamente como explicamos neste post) e conhecer as deslumbrantes Mesquite Flat Sand Dunes.
Pequeno vilarejo de Stonepipe Wells
Pequeno vilarejo de Stonepipe Wells
thumb_DSC00769_1024
As dunas do Mesquite Flat Sand Dunes
thumb_DSC00748_1024
Paulo brincando com a área do Mesquite Flat Sand Dunes
  • Scotty’s Castle: este “castelo” de pedra em estilo espanhol é o local mais visitado do Death Valley. Foi construído por um milionário como refúgio de inverno, mas o nome do local é uma homenagem a seu amigo Walter Scott. É possível fazer tours guiados no castelo (falaremos mais sobre como visitar o Scotty’s Castle em um post específico sobre o tema). Na região do Scotty’s Castle fica a Ubehebe Crater, que nada mais é que uma cratera vulcânica que possui quase 1 quilômetro de diâmetro! Ela foi o que resultou de uma explosão há mais de 300 anos atrás quando o magma brotando da terra teve contato com águas subterrâneas, que foram instantaneamente transformadas em vapor. Quem tiver bom preparo físico e disposição, pode fazer uma trilha de 237 metros que vai até o interior da cratera.

A Ubehebe Crater
Detalhe da Ubehebe Crater
thumb_DSC01048_1024
Ana em frente ao Scotty’s Castle, o local mais visitado do Death Valley
  • Furnace Creek: Nesta região – que foi um povoado de índios muito antes de os europeus chegarem ao local – é que se localizam a maior parte das atrações do Vale. A cidade é a sede principal do Centro de Visitantes do Death Valley. O hotel em que ficamos hospedados fica justamente nesta cidade e tem uma excelente estrutura (daremos mais detalhes em um post específico sobre hospedagem dentro do parque). Do lado do centro de visitantes há também um posto de gasolina, um dos únicos dentro do Vale.
A temperatura que enfrentamos em Furnace Creek, local que registrou o recorde histórico de 56,7ºC!
thumb_DSC01254_1024
Brincando na estrada na região de Furnace Creek

Algumas atrações que estão localizadas dentro da área de Furnace Creek são:

– Artist’s Palette: Montanhas de rochas coloridas encantam o local que pode ser percorrido através de uma estrada de 15 km. Devido à oxidação de vários metais nas rochas, estas apresentam cores que variam entre tons vermelhos, laranjas, amarelos, azuis e verdes. Ótimo lugar para ser visitado no fim da tarde.

thumb_DSC01099_1024
Panorâmica da placa localizada na entrada da estrada de 15 km no Artist’s Palette
thumb_DSC01116_1024
Estrada no meio das montanhas de pedras coloridas
thumb_DSC01201_1024
Tons rosa e verde em destaque

– Devil’s Golf Course: Saindo da estrada principal, para chegar ao local é preciso pegar uma estrada de cascalho de aproximadamente 1,5 km para apreciar uma área de grandes cristais de rochas salinas que possuem formatos diversos devido ao desgaste provocado pelos ventos e águas nesta região que já foi um lago.

thumb_DSC01291_1024
Estrada de cascalho que leva ao Devil’s Golf Course
thumb_DSC01308_1024
Paulo no meio dos cristais de sal

– Badwater Basin: É o ponto mais baixo do nível do mar na América do Norte: -86 metros! A salina de sal branco parece um tapete que reflete a luz do sol e chega a ofuscar os olhos. O local se formou há 3 mil anos quando o lago existente na região secou. Olhando para o paredão de rocha que fica entre a estrada e a salina, é possível ver bem no alto uma placa mostrando qual é o nível do mar.

thumb_DSC01447_1024
Um tapete branco feito de sal
Ali na plaquinha indicada pela seta vermelha está escrito "Sea Level", ou seja, nível do mar.
Ali na plaquinha indicada pela seta vermelha está escrito “Sea Level”, ou seja, nível do mar.

– Zabriskie Point: Após uma pequena caminhada (que foi bem difícil de ser feita sob sol escaldante), o local proporciona uma vista panorâmica de múltiplas camadas de rochas sedimentares com cores variadas.

thumb_DSC01515_1024
Linda vista do Zabriskie Point
thumb_DSC01523_1024
Detalhe das “ondas” formadas na pedra
thumb_DSC01546_1024
Paulo caminhando no meio da formação rochosa

– Twenty Mule Team Canyon: É um canyon que pode ser percorrido de carro por uma estrada de terra de 4,3 quilômetros. O local possui vários paredões coloridos de pedra.

Estrada de terra
Estrada de terra do Canyon

– Dante’s View: É, sem dúvida, um dos locais mais impressionantes do Death Valley. É preciso ter paciência, pois de Furnace Creek até o local leva-se aproximadamente 45 minutos de carro para chegar, já que é preciso pegar uma estrada que sobe até 1.669 metros de altura no topo de um morro. É possível ter uma vista panorâmica do vale a partir deste local. O mirante fica bem acima da Badwater Basin e é possível avistar a grande salina existente no local.

thumb_DSC01652_1024
Paulo admirando a paisagem incrível proporcionada pelo Dante’s View
thumb_DSC01653_1024
O morro fica exatamente acima da Badwater Basin e seu tapete branco de sal

Continue lendo sobre o Death Valley…

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.