Portugal: O que fazer em Lisboa – Roteiro de 3 dias

0

Demoramos mais do que gostaríamos para visitar a simpática cidade de Lisboa. Mas, no final, fomos surpreendidos pelo povo solícito e educado, a excelente gastronomia e uma cidade histórica extremamente agradável com diversos edifícios com fachadas decoradas por azulejos. Confira como aproveitar o melhor de Lisboa com esse roteiro de 3 dias na cidade.

A CIDADE DE LISBOA

Pois, pois! A capital portuguesa, localizada às margens do Rio Tejo, é graciosa. Ruínas arqueológicas mostram que, no passado, a região foi ocupada pelos fenícios, celtas, povos ibéricos, gregos, romanos e mouros. A cidade foi oficialmente fundada no século XII, na época da chamada “Reconquista”, fazendo parte do Reino de Portugal. Lisboa teve um papel crucial na época das Grandes Navegações, no final do século XV, uma das prioridades estratégicas do Rei D.João II. A cidade esteve na vanguarda do progresso científico e tecnológico que possibilitou a descoberta de arquipélagos e a conquista de diversos territórios.

Vista de Lisboa a partir do Castelo de São Jorge
Edifícios no centro da cidade
Ruela no centro da cidade

Em 1755, foi assolada por um fortíssimo terremoto, que prejudicou sua economia e destruiu diversos edifícios. No início do século XIX, a cidade foi invadida por Napoleão Bonaparte, fazendo com que a Corte Portuguesa se deslocasse para o Brasil em 1808. No século XX, a cidade enfrentou as Guerras Mundiais e a “Revolução dos Cravos” (ou Revolução de 25 de Abril) que, em 1974, depôs o sistema ditatorial que havia se instalado nos anos 1930.

Ladeiras não faltam no centro da cidade

Atualmente, Lisboa é a maior cidade o país (pouco mais de 500 mil habitantes) e um dos destinos turísticos mais populares do mundo. Lisboa se destaca por seus bondinhos elétricos, casas com fachadas coloridas ou todas forradas por azulejos. É comum ver roupas penduradas em varais na frente das casas, ruas estreitas e muitas ladeiras de paralelepípedos. Ficamos encantados pelo charme lisboeta!

Roupas em frente de uma casa
Bonde elétrico na Praça do Comércio
Edifício da Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau com o Arco da Augusta ao fundo

O QUE FAZER EM LISBOA – ROTEIRO DE 3 DIAS

Para ajudar você a programar a sua viagem para Lisboa, colocamos todas as atrações que indicaremos no post no mapa interativo abaixo. As atrações estão separadas em 3 cores:

  • DIA 1: Centro da cidade
  • DIA 2: Belém
  • DIA 3: Parque das Nações

É claro que você tem flexibilidade para retirar atrações de um dia e passar para outro, dependendo se falta ou sobra tempo. Cada pessoa faz um tipo de viagem e você pode demorar mais ou menos em um museu, resolver “pular” a visita a alguma atração pela qual não tem interesse, etc. A nossa ideia é dar uma sugestão de roteiro para que cada visitante adapte com o seu perfil. Uma sugestão para um quarto dia em Lisboa é visitar a cidade de Sintra, que fica a apenas 30 km de distância (há trens que saem da estação Lisboa-Rossio e tours guiados saindo de Lisboa).

DIA 1

Na nossa opinião, o dia em que você decidir andar pelo centro da cidade será o mais cansativo em Lisboa. A cidade é repleta de ruelas íngremes, ladeiras intermináveis, ruas estreitas. Tudo muito bonito, com certeza, mas também haja fôlego para visitar diversos lugares e caminhar muito. Portanto, acorde cedo, use calçados confortáveis e vamos lá!

1. PANTEÃO NACIONAL

Fundado em 1836, o Panteão Nacional ocupa o edifício que foi originalmente destinado para ser a Igreja de Santa Engrácia. Seu objetivo é homenagear ilustres cidadãos portugueses. O edifício é belíssimo, com uma grande cúpula e uma linda nave decorada com mármores coloridos. Há também exposições nos pisos superiores sobre o edifício e sobre as personalidades que ali são homenageadas (através de cenotáfios) ou  estão sepultadas no local. No último andar existe um mirante com uma bonita vista da cidade.

  • Personalidades homenageadas: D. Nuno Álvares Pereira, Infante D. Henrique, Pedro Álvares Cabral, Afonso de Albuquerque, Luís de Camões e Vasco da Gama
  • Personalidades sepultadas: Almeida Garrett, Amália Rodrigues, Aquilino Ribeiro, Eusébio da Silva Ferreira, Guerra Junqueiro, Humberto Delgado, João de Deus, Manuel de Arriaga, Óscar Carmona, Sidónio Pais, Sophia de Mello Breyner Andresen e Teófilo Braga
  • Endereço: Campo de Santa Clara, 1100-471 Lisboa, Portugal
  • Horários: de terça a domingo de 10h às 17h / fechado às segundas
  • Entrada: €4 / grátis no primeiro domingo de cada mês / grátis com Lisboa Card
  • Como chegar: Ônibus 12, 28, 34, 35, 704, 745, 759, 781, 782 / Bonde Elétrico 28 / Metrô Linha Azul (Estação de Santa Apolónia)
O belíssimo Panteão Nacional
Cenotáfio de Cabral

2. IGREJA E MOSTEIRO DE SÃO VICENTE DE FORA

A Igreja de São Vicente de Fora é originária de um mosteiro fundado em 1147 por D. Afonso Henriques para veneração de São Vicente, padroeiro de Lisboa. Ele foi reconstruído em 1582 fora das muralhas da cidade, e daí o “de Fora” no nome. Depois da restauração nacional, D. João V requisitou um altar barroco na capela principal da igreja, onde se destacam oito imagens, de madeira pintada de branco. A visita ao mosteiro pode ser feita através de uma entrada lateral. Lá está o maior conjunto de azulejos barrocos do mundo (cerca de 100 mil) que formam 38 painéis ilustrativos contando as fábulas de La Fontaine. É possível conhecer os claustros, a sacristia finamente decorada, ver muitos itens de arte sacra e ter uma vista panorâmica incrível a partir do terraço. O mosteiro também serve como um panteão real, pois lá estão os restos mortais de membros da dinastia de Bragança, incluindo o túmulo de Catarina de Bragança, a princesa portuguesa que, em 1662, se tornou rainha de Inglaterra ao se casar com Charles II.

  • Endereço: Largo de São Vicente, 1100-572 Lisboa, Portugal
  • Horários: diariamente de 9h às 18h
  • Entrada: gratuita para a igreja / €5 para o mosteiro
  • Como chegar: Ônibus 712, 734 / Bonde Elétrico 28

3. CASTELO DE SÃO JORGE

O Castelo de São Jorge é uma atração difícil de chegar pelo fato de ficar no alto de uma das chamadas “Sete Colinas” de Lisboa. Preocupe-se mais em usar calçados confortáveis do que estar elegante para visitar esse local (é sério!). O Castelo de São Jorge começou a ser construído no século XI pelos mouros, servindo de reduto de defesa para as elites que viviam na cidadela. Após a conquista de Lisboa, em 25 de Outubro de 1147, por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, até ao início do século XVI, o Castelo de S. Jorge conheceu o seu período áureo.

O histórico Castelo de São Jorge

Seu nome deriva da devoção do castelo a São Jorge, santo padroeiro dos cavaleiros e das cruzadas. Com a integração de Portugal na Coroa de Espanha, em 1580, o Castelo de S. Jorge adquiriu um caráter funcional mais militar, que se manterá até ao início do século XX. É preciso comprar o ingresso na bilheteria que fica do lado direito do castelo e usar o ticket para passar nas catracas automáticas. A subida até o castelo é cansativa, mas é recompensada pela vista incrível que se tem lá de cima. É possível ainda visitar um museu com artigos recuperados durante obras de restauro, as muralhas e ruínas do castelo e áreas de escavações recentes. Confira o mapa do castelo acessando este link.

  • Endereço: R. de Santa Cruz do Castelo, 1100-129 Lisboa, Portugal
  • Horários: diariamente de novembro a fevereiro de 9h às 18h / de março a outubro de 9h às 21h
  • Entrada: €8,50 / €6,50 para quem tem Lisboa Card
  • Como chegar: Ônibus 37 / Bonde Elétrico 12 e 28
Pátio interno
Vista da cidade a partir do Castelo

4. SÉ DE LISBOA

A Sé de Lisboa (também chamada de Igreja de Santa Maria Maior) é a catedral da cidade. A sua construção teve início em 1147, após a tomada da cidade dos mouros por D. Afonso Henriques. Acredita-se que sua construção foi feita exatamente no local onde anteriormente ficava uma mesquita. Sua arquitetura é uma mistura dos estilos românico, barroco, gótico e neo-manuelino. Seu interior é bem mais simples do que a maior parte das igrejas famosas, sem adornos em ouro ou mármore.

  • Endereço: Largo da Sé, 1100-585 Lisboa, Portugal
  • Horários: Catedral: de segunda a sábado de 9h às 19h, domingos de 9h às 20h / Museu do Tesouro: de segunda a sábado das 10h às 17h
  • Entrada: gratuita / claustros e tesouro têm entrada paga
  • Como chegar: Ônibus 737 / Bonde Elétrico 12 e 28 / Metrô Linha Azul, Estação Terreiro do Paço
Vitrais da Sé de Lisboa
Capela da Sé de Lisboa

5. PRAÇA DO COMÉRCIO & ARCO DA RUA AUGUSTA

A Praça do Comércio, também conhecida como Terreiro do Paço, é uma das maiores praças da Europa, com cerca de 36 mil m². Ela fica localizada bem no centro da cidade, às margens do Rio Tejo. Em 1511, o rei D. Manuel I transferiu a sua residência do Castelo de São Jorge para um edifício localizado ali. No centro da praça, destaca-se a estátua equestre D. José, feita em 1775 por Joaquim Machado de Castro, o principal escultor português do século XVIII. Até os anos 1990, o local servia de estacionamento, mas (felizmente) isso mudou. Atualmente, grandes eventos e manifestações acontecem no local.

Praça do Comércio e Arco da Augusta, Lisboa 🇵🇹🔝😃👍🏻 #viajonarios #lisbon #lisboa #portugal #pracadocomercio #arcodaaugusta #visitlisboa

A post shared by Viajonários ✈️🌎📷🍷🍴⚽️🎥 (@viajonarios) on

Da Praça do Comércio é possível avistar o belo Arco da Rua Augusta, um arco triunfal que fica ao norte da praça. Ele começou a ser construído em 1873, após o terremoto que destruiu boa parte do centro de Lisboa. Ele é repleto de lindas esculturas que representam Nuno Álvares Pereira, Viriato, Vasco da Gama, Marquês de Pombal, entre outros. Em 2013, foi inaugurado um elevador que permite subir até o topo do arco, combinando com dois lances de escadas íngremes. A vista lá de cima é muito bonita, pois pode-se apreciar toda a extensão da Praça do Comércio combinada com o Rio Tejo. A entrada é feita por uma porta lateral à direita de quem olha o arco a partir da praça.

  • Endereço: R. Augusta 2, 1100-053 Lisboa, Portugal
  • Horários: diariamente de 9h às 20h
  • Entrada: €2,50
Arco da Augusta à noite

6. ELEVADOR SANTA JUSTA

O Elevador Santa Justa (também chamado de Elevador do Carmo) consiste em um plataforma de observação, construída em estilo neo-gótico, de 45 metros de altura que foi inaugurada em 1902. A bilheteria fica localizada atrás da estrutura que conta com 2 elevadores com cabines de madeira. Para chegar no topo, é preciso subir por uma estreita escada em caracol. Todo esforço é compensado por vistas incríveis de Lisboa.

  • Endereço: R. do Ouro, 1150-060 Lisboa, Portugal
  • Horários: março a outubro de 7h30 às 23h /novembro a fevereiro de 7h30 às 21h
  • Entrada: €5,15 (válido por 2 viagens e inclui visita ao Miradouro de Santa Justa) / grátis com Lisboa Card
Elevador Santa Justa

7. CONVENTO E MUSEU DO CARMO

O Convento do Carmo de Lisboa é um antigo convento da Ordem dos Carmelitas. No passado, o local abrigava a principal igreja gótica de Lisboa. No entanto, o terremoto de 1755 destruiu a igreja, que nunca mais foi reconstruída. O local se tornou um dos símbolos mais evidentes da catástrofe na cidade. Atualmente, as ruínas abrigam o Museu Arqueológico do Carmo.

  • Endereço: Largo do Carmo, 1200-092 Lisboa, Portugal
  • Horários: de segunda a sábado de outubro a maio de 10h às 18h; de junho a setembro de 10h às 19h / fechado aos domingos
  • Entrada: €4 / €3,20 com Lisboa Card
Ruínas do Convento do Carmo

8. ASCENSOR DA GLÓRIA

Ascensor da Glória é o nome que se dá a um bondinho inaugurado em 1885, que faz o trajeto entre a Praça dos Restauradores e o Bairro Alto (Miradouro de São Pedro de Alcântara), através da Calçada da Glória. Em suas origens, ele era movido por um sistema de tração, passando, posteriormente, a ser movido a vapor. Em 1915, ele passou a ser eletrificado. Ele é um sucesso total entre os turistas pelo fato de ser muito inclinado. Para quem quer ver a cidade do alto através do Miradouro de São Pedro de Alcântara, este bondinho é uma opção fantástica para “economizar” as pernas, além de render fotos bem bacanas, é claro.

  • Percurso: Praça Restauradores – S. Pedro de Alcântara
  • Horários de funcionamento: de segunda a quinta de 7h15 às 23h55 / sexta de 7h15 às 0h25 / sábado de 8h45 às 0h25 / domingos e feriados de 9h15 às 23h55
Ascensor da Glória

9. MIRADOUROS (MIRANTES)

A cidade de Lisboa está cheia de miradouros, conhecidos como mirantes no português brasileiro. Como a cidade foi construída sobre colinas, há muitas áreas que permitem vistas incríveis dos prédios e, claro, do Rio Tejo. Para quem está procurando vistas incríveis, esse site lista 38 miradouros localizados em Lisboa, como os famosos Miradouro de Santa Luzia e Miradouro de São Pedro de Alcântara. Você não vai conseguir visitar a todos eles em poucos dias na cidade, por isso, vale a pena selecionar apenas alguns. O mapa da localização dos miradouros está neste link.

Lisboa está repleta de miradouros

10. CASA DE FERNANDO PESSOA

Um dos maiores poetas portugueses de todos os tempos tem um museu dedicado a sua vida e obra. Infelizmente, não conseguimos visitá-lo, porque ele não abre aos domingos, o que se tornou uma boa desculpa para voltarmos a Lisboa em outra oportunidade. A Sílvia do blog Matraqueando visitou e conta a experiência dela neste post. O museu, fundado em 1933, está instalado na casa onde Fernando Pessoa morou nos últimos 15 anos de sua vida. Objetos pessoais como sua máquina de escrever, seus óculos e blocos de anotações fazem parte o acervo. Há também uma  sala multimídia e a preciosa biblioteca particular do autor, digitalizada e disponível para consulta online.

  • Endereço: R. Coelho da Rocha 16, 1250-088 Lisboa, Portugal
  • Horários: de segunda a sábado de 10h às 18h / tours guiados (em português) às segundas, quintas e sábados às 15h
  • Entrada: €3
  • Como chegar: Bonde Elétrico 28 desça no ponto Saraiva Carvalho

11. BASÍLICA DA ESTRELA

Se depois de toda essa andança na cidade ainda sobrou tempo, visite a bela Basílica da Estrela (também chamada Real Basílica e Convento do Santíssimo Coração de Jesus), inaugurada em 1790. O local é antigo convento, em estilo barroco e neoclássico, de freiras carmelitas. O interior é decorado com mármore nas cores cinza, rosa e amarela. A basílica abriga o túmulo da rainha D. Maria I, “a Louca”,  que morreu no Brasil e foi trazida para cá, posteriormente. É possível subir no terraço da Basílica para ver Lisboa de cima.

  • Endereço: Praça da Estrela, 1200-667 Lisboa, Portugal
  • Horários: de segunda a domingo de 9h30 às 12h e de 14h às 18h30
  • Entrada: €4 para o terraço
A beleza da Basílica da Estrela. Foto: site oficial

DIA 2

O segundo dia pode ser dedicado à área de Belém. Para chegar até a região a partir do centro, é possível pegar o bonde elétrico 15E ou o ônibus 714 na Praça do Comércio. A viagem dura entre 30 e 40 minutos. Nós estivemos no inverno e, mesmo assim, a fila para pegar o bonde era enorme e ele estava muito lotado. Por isso, nossa recomendação é sair bem cedo do hotel para perder o menor tempo possível na fila. Para começar o dia na Torre de Belém, desça no ponto “Princesa” e atravesse a rua por meio de uma passarela para pedestres.

12. TORRE DE BELÉM

De todos os locais que visitamos em Lisboa, este foi o que enfrentamos a maior fila para entrar, uma vez que são admitidas apenas 150 pessoas de cada vez para conhecer a atração. Construída em estilo manuelino, entre 1514 e 1520, a Torre de Belém fica às margens do Rio Tejo e possui 30 metros de altura. O objetivo de sua construção tinha caráter de defesa contra possíveis invasões por água. Ela possui uma torre de menagem medieval e um baluarte moderno de dois níveis para disparo de artilharia. Depois de uma fila demorada para entrar na torre, mais fila nos aguardava lá dentro. É preciso esperar para subir nos andares do baluarte para conhecer tudo nos seus 5 andares:

  • Primeiro andar: Sala do Governador
  • Segundo andar: Sala dos Reis
  • Terceiro andar: Sala de Audiências
  • Quarto andar: Capela e filme sobre a história do monumento
  • Quinto andar: Terraço da torre
  • Endereço: Av. Brasília, 1400-038 Lisboa, Portugal
  • Horários: de outubro a abril de 10h às 17h30 (última entrada às 17h) / de maio a setembro de 10h às 18h30 (última entrada às 17h)
  • Entrada: €6, gratuita no primeiro domingo de cada mês / grátis com Lisboa Card / ticket combinado com a Mosteiro dos Jerônimos €12
Vista da Torre de Belém
Vista da Torre de Menagem a partir da parte interna

13. PADRÃO DOS DESCOBRIMENTOS

O Padrão dos Descobrimentos é um monumento inaugurado em 1940 que tem como objetivo prestar uma homenagem a grandes nomes de cidadãos portugueses que estiveram envolvidos com os Descobrimentos portugueses além-mar. Ambos os lados do monumento estão repletos de esculturas de nomes como Vasco da Gama, Cabral, Bartolomeu Dias, Camões. A estrutura possui 56 metros de altura, 20 metros de largura e 46 metros de comprimento. No topo, uma rosa dos ventos indica os pontos cardeais.

  • Endereço: Av. Brasília, 1400-038 Lisboa, Portugal
  • Horários: de março a setembro diariamente de 10h às 19h / de outubro a fevereiro: de terça a domingo de 10h às 18h / última entrada meia hora antes do fechamento
  • Entrada: €4 / €3 com Lisboa Card
Padrão dos Descobrimentos em um dos poucos momentos ensolarados que pegamos em Lisboa

14. MOSTEIRO DOS JERÔNIMOS

Saindo do Padrão dos Descobrimentos, passe para o outro lado da rua através de um túnel para pedestres. Você chegará à bonita Praça do Império. O Mosteiro dos Jerônimos começou a ser construído, em 1502, em estilo manuelino. A estrutura é composta por uma igreja com planta em cruz latina, composta por três naves. A igreja abriga os túmulos de Camões, Vasco da Gama, D. Sebastião, dos descendentes de D. João III, entre outros. Sem dúvida, um dos pontos altos da visita são os claustros do mosteiro, constituídos por dois andares abobadados e uma planta quadrada, de cantos cortados, formando um octógono virtual. Na ala norte do claustro inferior encontra-se o túmulo de Fernando Pessoa. Junto com a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerônimos é considerado Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1983.

  • Endereço: Praça do Império 1400-206 Lisboa, Portugal
  • Horários: de outubro a abril de 10h às 17h30 / de maio a setembro de 10h às 18h30 / fechado às segundas-feiras
  • Entrada: igreja grátis / mosteiro €10 / ticket combinado com a Torre de Belém €12 / grátis com Lisboa Card
Igreja do Mosteiro dos Jerônimos
Arquitetura belíssima em estilo manuelino
Área dos claustros

15. MUSEU NACIONAL DOS COCHES

Uma coleção impressionante de carruagens históricas pode ser vista no Museu Nacional dos Coches. Em 1905 o museu foi inaugurado no edifício em que ficava o antigo Palácio Real de Belém, em um salão chamado Picadeiro Real. No entanto, o edifício tinha pouco espaço para exposição e era necessário encontrar uma nova área para expandir. Por este motivo, em 2015, a maior parte da coleção passou a ficar abrigada em um moderno edifício. O novo Museu inclui espaços para exposição permanente e temporária e uma oficina de restauração. Atualmente, a coleção está distribuída entre os dois edifícios.

  • Endereços: 
    • Museu: Av. da Índia 136, 1300-004 Lisboa, Portugal
    • Picadeiro Real: Praça Afonso de Albuquerque 1300-004 Lisboa, Portugal
  • Horários: de terça a domingo de 10h às 18h / fechado às segundas-feiras
  • Entrada: €6 Museu Nacional dos Coches / € 4 Picadeiro Real / € 8 combo Museu Nacional dos Coches + Picadeiro Real / grátis com Lisboa Card / grátis no primeiro domingo de cada mês
Uma das dezenas de carruagens do Museu Nacional dos Coches

16. PALÁCIO NACIONAL DA AJUDA

Este local é um antigo palácio real onde atualmente estão instalados um museu, a Biblioteca Nacional da Ajuda, o Ministério da Cultura, a Galeria de Pintura do rei D. Luís I e a Direção Geral do Patrimônio Cultural. O edifício foi construído a pedido de D. José I que ficou apavorado com o terremoto de 1755 que arrasou Lisboa. Ele queria um novo palácio, construído em madeira e que resistisse a abalos sísmicos. Pode-se visitar dois andares do palácio: o Piso Térreo onde se situam muitos dos aposentos privados e o Andar Nobre, onde se realizavam as recepções de gala.

  • Endereço: Largo Ajuda, 1349-021 Lisboa, Portugal
  • Horários: de quinta a terça de 10h às 18h / fechado às quartas-feiras
  • Entrada: €5 / grátis com Lisboa Card
  • Como chegar: Essa é única atração do dia que não fica em Belém, mas sim no bairro da Ajuda. Saindo do Museu Nacional dos Coches, vá até a Praça Afonso de Albuquerque para pegar o ônibus 729. Desça no ponto Cç. da Ajuda – GNR e caminhe cerca de 400 metros até o Palácio.
Sala do Trono. Foto: site oficial
Salão dos Grandes Jantares. Foto: site oficial

DIA 3

O terceiro e último dia é dedicado a atrações que ficam mais longe do centro de Lisboa. A ideia é que seja um dia mais tranquilo, que você pode até mesmo incluir alguma atração que não conseguiu fazer nos dias anteriores. O ônibus 794 sai da Praça do Comércio e vai até o Museu Nacional do Azulejo. Todas as outras atrações do dia estão localizadas no Parque das Nações, uma área que começou a se desenvolver devido à Expo 98, que foi sediada em Lisboa. Você pode chegar ao Parque das Nações pegando o ônibus 782.

17. MUSEU NACIONAL DO AZULEJO

Este é um dos museus mais importantes de Portugal pelo fato de mostrar em detalhes uma das expressões artísticas mais características do país. O museu está instalado no antigo Convento da Madre de Deus, fundado em 1509 pela rainha D. Leonor. Um dos maiores destaques da exposição é um painel de azulejos mostrando uma panorâmica de Lisboa antes do terremoto de 1755.

  • Endereço: R. Madre de Deus 4, 1900-312 Lisboa, Portugal
  • Horários: de terça a domingo de 10h às 18h
  • Entrada: €5 / grátis primeiro domingo de cada mês / gratuita com Lisboa Card
Painel de azulejos do Grande panorama de Lisboa

18. CENTRO VASCO DA GAMA

O Centro Vasco da Gama é um grande centro comercial localizado no Parque das Nações. Ele foi inaugurado em 1999 e possui 49 mil m². O local possui um complexo de lojas de varejo, cinema e restaurantes. O seu nome é uma homenagem a Vasco da Gama, descobridor do caminho para as Índias. O interior do complexo é inspirado no mar, com peixes e animais marinhos no teto, nos elevadores, nos banheiros e lojas. Para quem quer aproveitar a viagem para fazer umas compras, o local é uma boa opção.

  • Endereço: Avenida Dom João II, nº 40, 1990-094 Lisboa, Portugal
  • Horários: diariamente de 9h à meia-noite
Centro Vasco da Gama

19. OCEANÁRIO DE LISBOA

Fundado em 1998, o Oceanário de Lisboa é um aquário e instituição de pesquisa sobre biologia marinha e oceanografia. Construído com uma arquitetura inovadora, seu edifício lembra um porta-aviões rodeado de água. O aquário é enorme, possuindo uma área de 20 mil m² com 30 aquários, mais de 8 mil organismos vivos de 500 espécies diferentes. Os aquários impressionam pelo tamanho e variedade de plantas e peixes mostrando diversos tipos de ecossistemas diferentes.

  • Endereço: Esplanada Dom Carlos I s/nº, 1990-005 Lisboa, Portugal
  • Horários: de abril a outubro de 10h às 20h / de novembro a março de 10h às 19h / última entrada 1 hora antes do fechamento
  • Entrada: a partir de €15 adultos / €10 crianças entre 4 e 12 anos
O moderno prédio do Oceanário

20. JARDIM DA ÁGUA

Este local tem como foco jardins temáticos que dão ênfase à água, através de uma série de equipamentos educativos e desportivos. Ele é composto por algumas partes: o Jardim das Palmeiras, o Pomar do Mediterrâneo, o Lago Ulisses, o Edifício da Cascata, o Jardim Hidráulico e o Jardim das Ondas.

  • Endereço: Passeio Ulisses, 1990-005 Lisboa, Portugal
  • Horários: 24 horas

GASTRONOMIA: NÃO DEIXE DE PROVAR!

Faz parte da experiência da cidade provar algumas iguarias. Vamos escrever um post especial com dicas de restaurantes em Lisboa, mas já deixamos aqui algumas indicações de lugares que você precisa conhecer:

  • Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau: Que delícia comer pastel de bacalhau (que no Brasil chamamos de bolinho) recheado com queijo da Serra da Estrela quentinho! (R. Augusta 106)
  • Pastéis de Belém: Há muitos Pastéis de Nata em Portugal, mas Pastel de Belém só existe em um lugar! A fila é enorme, mas garantimos que não existe pastelzinho melhor do que o de lá: saboroso, crocante e quentinho! Eles são acompanhados de açúcar de confeiteiro e canela, mas sinceramente, não precisa colocar nada para ficar delicioso. (R. Belém 84-92)
  • Ginjinha Espinheira: Ginjinha é uma bebida típica de Lisboa bem doce e avermelhada. É uma espécie de licor feito de ginja, uma fruta parecida com a cereja. Ela pode ser servida acompanhada ou não da fruta dentro do copo. (Largo São Domingos 8)
Como resistir a esses pastéis de bacalhau recheados com queijo?

ONDE ASSISTIR A UM SHOW DE FADO

Quando viajamos para um lugar, nós amamos mergulhar na cultura local. E uma das atrações culturais de Lisboa mais importantes é o Fado. Fado é um gênero musical típico de Portugal que não se sabe ao certo qual é a origem, mas estima-se que remota o início do século XIX. Os cantores de fado são chamados fadistas, e eles impõem um ritmo musical muito diferente do que estamos acostumados, acompanhados de violão, bandolim e guitarra portuguesa. Em 2011, fado foi elevado à categoria de Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela UNESCO. Há muitos bares, restaurantes e casas de fado em Lisboa. Temos que confessar, que o Fado não está entre os nossos gêneros musicais favoritos, mas valeu muito a experiência de conhecer um pouco mais da cultura portuguesa mais de perto. Para quem está procurando algo no centro da cidade, nossas dicas são:

  • Fado in Chiado: somente para apresentações de Fado (Rua da Misericórdia, 14)
  • Adega Machado: jantar acompanhado de apresentações de Fado (Rua do Norte, 91)
Adega Machado: jantar + shows de fado

ONDE SE HOSPEDAR EM LISBOA

Nossa recomendação é que você procure se hospedar no centro da cidade para que possa curtir a maior parte das atrações a pé ou via transporte público. Nós tivemos uma experiência incrível no Brown’s Downtown Hotel. Um hotel bem localizado no centro da cidade, quartos renovados, a 100 metros da estação de metrô Baixa-Chiado, com um café da manhã (“pequeno-almoço” no português de Portugal) delicioso e tratamento especial. Recomendamos muito!

Leia o post: Dica de hospedagem em Lisboa: Brown’s Downtown Hotel

Um dos quartos do hotel. Foto: Booking.com

DICA DE ECONOMIA: LISBOA CARD

Para quem pretende visitar vários lugares em Lisboa, nossa dica é adquirir o Lisboa Card. Há um balcão de informações na área de desembarque do aeroporto que vende o cartão, além de outras áreas no centro da cidade e online. O Lisboa Card dá acesso a entrada gratuita a diversas atrações da cidade (exemplos: Torre de Belém, Mosteiro dos Jerônimos, Elevador Santa Justa), além de incluir transporte público ilimitado. É possível comprar o cartão em 3 versões: 24h, 48h ou 72h. O ticket de trem entre Lisboa e Sintra também está incluso no Lisboa Card, além de descontos em várias lojas, tours e atrações. Nós testamos e aprovamos!

Lisboa Card é a melhor forma de conhecer a cidade com economia e praticidade

COMO SE LOCOMOVER EM LISBOA

As ruas do centro de Lisboa são estreitas e íngremes. Muitos dos hotéis da cidade não têm estacionamento ou cobram uma taxa diária pelo serviço. Se possível, visite a cidade através de transporte público. Chegando no aeroporto, basta pegar o metrô para chegar ao centro. Há metrô, ônibus e bonde elétrico para se deslocar pela cidade. Começou a chover ou cansou de andar? Chame um Uber (testamos uma vez e vimos que funciona muito bem)! É mais prático (você não tem que ficar se preocupando com local para estacionar) e barato.

Estação de metrô em Lisboa

Somos parceiros de um serviço de chip internacional super bacana para você usar o GPS enquanto caminha pelas ruas da cidade, chamar o Uber, mandar fotos para a família e curtir a viagem sem preocupações com preços elevados das empresas de telefonia do Brasil. Nós utilizamos o transporte público de Lisboa amplamente e não nos arrependemos nem por um minuto de não ter alugado um carro.

METRÔ DE LISBOA

O metrô de Lisboa é chamado de “metro” (sem acento), uma vez que a forma diminutiva do termo “metropolitano”. Ele possui quatro linhas (verde, azul, rosa e amarela). As plataformas possuem avisos luminosos que marcam o tempo que falta para o próximo trem chegar. O metrô superou as nossas expectativas, pois achamos tudo muito limpinho e organizado. Foi muito fácil fazer baldeações e nos entendermos com as linhas e estações.

  • Curiosidades: na nomenclatura do português de Portugal, vagão é chamado de “carruagem”trem é chamado de “comboio” e plataforma é chamada de “cais”. O termo “intervalo” é utilizado para se referir ao vão entre a plataforma e o trem e “correspondência” é o que conhecemos por baldeação (troca de linha).
Diagrama do metrô de Lisboa. Fonte: site oficial

AEROPORTO: DESLOCAMENTOS NA MADRUGADA

Vai precisar de transporte durante a madrugada? O serviço de metrô funciona entre 6h30 e 1h da manhã. Há ônibus circulando, mas em um número reduzido de linhas e horários. Nós tivemos que utilizar um serviço de shuttle para o nosso voo de volta que era muito cedo. Para quem precisar, pode utilizar o site Airportshuttles.com para contratar o serviço de traslado privado ou em grupo.


Agradecemos ao Visit Lisboa pelos ingressos para atrações e transporte na cidade. Refeições e hospedagem ficaram por nossa conta, mas tivemos um tratamento especial no Brown’s Downtown Hotel. Todas as opiniões sobre os lugares visitados foram baseadas em nossas próprias experiências.

Deixe seu comentário