Os países mais igualitários entre homens e mulheres

0

Dia 8 de março é lembrado como o “Dia Internacional da Mulher”, uma homenagem a todas as mulheres do mundo. Mas você sabe o motivo desta celebração?

O primeiro Dia Internacional da Mulher foi celebrado em 28 de fevereiro de 1909 aqui nos Estados Unidos, por iniciativa do Partido Socialista da América, em memória do protesto contra as condições insalubres e desumanas de trabalho das operárias em fábricas têxteis de Nova York. No ano seguinte, na Dinamarca, ocorreu o primeira Conferência Internacional de Mulheres, quando foi aprovada a instituição de um dia oficial para a celebração da mulher, embora nenhuma data tenha sido especificada.

Anos mais tarde, na Rússia, a celebração da data foi o estopim para a Revolução de 1917. Lá ocorreram manifestações das mulheres por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial no dia 8 de março daquele ano.

Nos países ocidentais, a data foi comemorada nas décadas de 1910 e 1920, mas foi esquecida por longo tempo e somente recuperada, na década de 1960, pelo movimento feminista, sendo finalmente adotada pelas Nações Unidas em 1977. Atualmente, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter muito mais festivo e comercial.

Embora ainda estejamos longe de resolver as grandes diferenças de direitos, salários, participação política e no mercado de trabalho entre homens e mulheres no mundo, alguns países aparecem como exemplo nesta questão. O Fórum Econômico Mundial mapeou 142 países no relatório “Global Gender Gap”, de 2014 e elaborou um ranking que, em resumo, mostra quais países estão mais próximos (e mais distantes) da igualdade de direitos entre homens e mulheres.

Ranking dos países mais igualitários do mundo:

1) Islândia

2) Finlândia

3) Noruega

4) Suécia

5) Dinamarca

12) Alemanha

16) França

20) Estados Unidos

71) Brasil

142) Iêmen

De nossa parte, desejamos um Feliz Dia da Mulher para todas as mulheres do mundo que batalham todos os dias, desdobram-se para trabalhar, estudar, cuidar da casa, dos filhos, da carreira e que correm atrás dos seus direitos!

Deixe seu comentário