Londres: O incrível e gratuito British Museum

0

O British Museum (Museu Britânico) é um daqueles museus que encanta pela variedade e riqueza das obras de arte. Você não vai encontrar um único quadro sequer, mas há de sobra artefatos, esculturas e um banho de história. Temos que confessar que o British Museum sempre acabou ficando de fora de nossas viagens a Londres (2006 e 2011) porque ele é um museu que merece ser visto com carinho. E depois de ter passado por essa experiência, vale dizer que mesmo que você tenha pouco tempo, vale a pena dar um pulinho lá, uma vez que a entrada é totalmente gratuita. Agora, morando na cidade, a Ana passou 5 horas conhecendo o museu e dá dicas de como se organizar e o que ver por lá. Vamos conhecer um pouco mais sobre o incrível e gratuito British Museum?

LONDRES: O INCRÍVEL E GRATUITO BRITISH MUSEUM

Fundado em 1753 (e aberto ao público a partir de 1759), o British Museum é um museu dedicado à história, arte e cultura. Sua coleção permanente está estimada em mais de 8 milhões de objetos provenientes de todos os cantos do planeta, os quais ilustram e documentam a história da humanidade desde os primórdios (mais de 2 mil anos atrás) até os dias atuais. Este é o museu mais visitado do país e o quinto mais visitado do mundo. Somente em 2015, o British Museum recebeu mais de 6,8 milhões de visitantes. A entrada do museu tem uma arquitetura antiga, que remete ao século XVIII, mas ao entrar no museu o visitante se depara com uma construção central moderna belíssima e um teto envidraçado que permite a entrada de luz natural. Essa nova área foi inaugurada pela rainha Elizabeth II no ano 2000.

Fachada do British Museum
Fachada do British Museum

Ao chegar à entrada principal do British Museum, vire à esquerda e vá até uma área coberta. Lá, caso você esteja de mochila, poderá ser revistado. A Ana estava apenas com uma bolsa pequena e passou direto. A partir daí, você estará livre para acessar o museu sem custo nenhum. Lembrando que é sugerida uma contribuição (opcional) e para pegar um mapa do museu em papel para se guiar pelos corredores é preciso pagar também (veja detalhes dos preços no final do post).

Corredores do British Museum
Corredores do British Museum

ORGANIZE-SE PARA VISITAR O BRITISH MUSEUM

O ideal é deixar 1 dia inteiro no roteiro para o British Museum. Se você é apaixonado por arte, não vai se arrepender. Se você é mais um curioso e quer conhecer o museu, mas não tem como ficar o dia todo, vale super a pena dar uma olhadinha em como estão organizadas as exposição e escolher quais mais interessam, porque é impossível ver tudo em poucas horas. O acervo do museu inclui exposições sobre: África; Américas (América do Norte e México); Antigo Egito; Grécia e Roma Antiga; Ásia; Europa; Oriente Médio; e outras exposições temáticas. Para checar o que encontrar em cada sala de exposição do museu, acesse este link. Abaixo segue o mapa com as seções principais do British Museum.

Mapa da Exposição do British Museum
Mapa da Exposição do British Museum

DESTAQUES DO BRITISH MUSEUM

Resumimos de maneira breve o que encontrar no British Museum, destacando algumas  das principais áreas deste incrível museu.

Piso Térreo (Level 0)

  • Galeria do Iluminismo (sala 1): Uma sala enorme ricamente decorada com esculturas e muitos artefatos. Ela é uma homenagem ao florescimento de diversas descobertas ao longo do século XVIII. Vale a pena dar uma passadinha, mesmo que rápida.
Vista geral da Galeria da Iluminação
Vista geral da Galeria do Iluminismo
  • Galeria Egípcia (sala 4): Recheada de esculturas incríveis de figuras egípcias belíssimas. O grande destaque fica por conta da “Pedra de Rosetta”, uma pedra de granito peça-chave para decifrar os antigos hieróglifos egípcios, pois contém o mesmo texto em 3 línguas diferentes (Hieróglifos Egípcios Antigos, Grego Antigo e Demótico, variante do Egípcio Tardio).
Pedra de Rosetta
Pedra de Rosetta
Esculturas egípcias incríveis em exposição
Esculturas egípcias incríveis em exposição
esculturas-egipcias-british-museum3
Esculturas egípcias variadas
  • Galeria Assíria (salas 6 a 10): Com escultura suntuosas e impressionantes na exposição, um dos principais destaques é a Caçada dos Leões, na sala 10. Trata-se de um painel do período entre 645 e 635 a.C., que mostra uma caçada cheia de tensão e realismo.
A Galeria Assíria conta com painéis e peças impressionantes
A Galeria Assíria conta com painéis e peças impressionantes
  • Galeria Grega (salas 11 a 23): É a exposição favorita da Ana no museu. Uma das exibições gregas mais incríveis do mundo, recheada de obras belíssimas. Entre elas se destacam Nereid Monument (sala 17), um monumento suntuoso encontrado na Turquia e pedaços de esculturas da parte superior do Pathernon (sala 18), o famoso tempo grego localizado na Acrópolis, dedicado a deuses e deusas. Assista ao video explicativo que fica na sala à esquerda (18a).
O belíssimo Nereid Monument
O belíssimo Nereid Monument
Área dedicada às partes do Pathernon de Atenas
Área dedicada às partes do Pathernon de Atenas
Moai da Ilha de Páscoa
Moai da Ilha de Páscoa
  • Exibições Periódicas Especiais (Sala 30): exposições temporárias que mudam constantemente e possuem entrada paga

Piso Inferior (Level -1)

  • Galeria Africana (Sala 25): Um dos grandes destaques da exposição é a “Árvore da Vida”, uma impressionante escultura feita com a junção de diversas armas.
Destaque para a "Árvore da Vida" feita de várias armas de fogo
Destaque para a “Árvore da Vida” feita de várias armas de fogo
  • Galeria da América do Norte (Sala 26)
  • Galeria do México (Sala 27)

Pisos Superiores

  • Galeria Chinesa e Asiática (Sala 33)
  • Galeria Islâmica (Sala 34)
  • Relógios (Salas 38 e 39): Para quem gosta de relógios, há no acervo relógios de todos os tipos: de piso, de bolso, de pulso
Alguns dos belos relógios da exposição
Alguns dos belos relógios da exposição
  • Galeria Europeia (Salas 40 a 51): As salas desta galeria trazem objetos variados desde a época medieval. Entre os destaques estão o Tabuleiro e peças do jogo de xadrez mais famoso do mundo e a Taça Real de Ouro, datada de 1370-80 (sala 40). Na sala 50, há uma bela exposição de objetos de origem celta.
O famoso tabuleiro de xadrez
O famoso tabuleiro de xadrez
  • Galeria da Antiguidade (Salas 52 a 59): Destaque para as peças persas belíssimas em ouro do Tesouro de Oxus (sala 52).
  • Galeria do Antigo Egito (Salas 61 a 66): Embora no piso inferior tenha uma seção dedicada ao Antigo Egito, repleta de esculturas, no piso superior há muitos artefatos, múmias e sarcófagos que valem a pena serem vistos (salas 62 e 63). A sala está quase sempre cheia,  pois é uma das mais interessantes de todo o museu. A múmia de Katebet (sala 63) é uma das mais famosas do mundo.
Múmias em exposição na galeria egípcia no piso superior
Múmias em exposição na galeria egípcia no piso superior
sarcofagos-british-museum
Alguns dos sarcófagos que também estão em exposição
  • Galeria da Coréia (Sala 67)
  • Galeria do Dinheiro (Sala 68)
  • Galeria do Império Romano e Etrusco (Salas 69 a 72)
Exposição de bustos romanos
Exposição de bustos romanos
  • Galeria Grega (Salas 73 a 78): Muitos objetos gregos como vasos e artefatos variados estão em exposição.
  • Galeria Japonesa (Salas 92 a 94): Linda exposição mostrando desde o Japão medieval até obras de arte contemporâneas. Uma vestimenta de Samurai pode ser encontrada na sala 93.
Traje japonês típico
Traje japonês típico
  • Cerâmicas Chinesas (Sala 95)

RESTAURANTE DO BRITISH MUSEUM

Depois de rodar muito pelo museu, é inevitável que bata aquela fome de leão! Há opções para comer no British Museum neste link.

Um dos cafés do British Museum
Um dos cafés do British Museum

A escolha para depois de horas de caminhada pelos corredores do museu foi o principal restaurante do museu que é o Great Court Restaurant. Ele é bastante procurado e fica cheio na hora do almoço, sendo possível fazer reservas antecipadas no próprio site.

Entrada do Restaurante do British Museum
Entrada do Restaurante do British Museum

O ambiente é bem iluminado, as louças são todas decoradas e o atendimento é ótimo. O cardápio inclui aperitivos, saladas, queijos e pratos variados. Há também sempre um cardápio do dia com preço fixo em que se pode escolher entre entre 2 ou 3 opções que inclui uma entrada, prato principal e sobremesa. A Ana escolheu a sugestão de 2 opções que incluía um papardelli com molho de tomate e uma sobremesa caprichada. Está longe de ser uma comida inesquecível, mas foi muito conveniente não precisar sair do museu para almoçar.

almoco-british-museum
Papardelli bem servido
sobremesa-british-museum
Sobremesa para finalizar

Great Court Restaurant

  • Horários: 
    • almoço: diariamente de 11h30 às 15h
    • chá da tarde: diariamente de 15h às 17h30
    • jantar: sextas-feiras de 17h30 às 20h30
  • Cardápio: Confira o menu

COMO CHEGAR

A melhor forma de chegar até o museu é através de transporte público (metrô) através das linhas/estações:

  • Central Line (vermelha): estações Tottenham Court Road e Holborn
  • Piccadilly Line (marinho): estações Holborn e Russell Square
  • Northern Line (preta): estações Tottenham Court Road e Goodge Street

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

British Museum

  • Endereço: Great Russell St, London WC1B 3DG
  • Horários: de sábado a quinta de 10h às 17h30 / sexta de 10h às 20h30
  • Entrada: gratuita / contribuição sugerida £5 / preço de exposições especiais variam
  • Audio guide / Mapa: o audio guide está disponível em 10 idiomas (português não é um deles) e custa £5 / o mapa do museu pode ser adquirido em diversos pontos do museu e custa £2
  • Tours: há vários tours gratuitos pelas áreas do museu, veja a programação neste link
  • Lojas: há muitas lojinhas que vendem livros, lembrancinhas e vários artigos relacionados ao museu, confira as opções neste link


Leia mais sobre o Reino Unido:

Deixe seu comentário