Crise da água: um problema comum ao Brasil e à Califórnia

0

O Brasil está enfrentando nos últimos meses um problema gravíssimo de falta de água. Temos lido notícias na internet até mesmo de planos da Sabesp em deixar a cidade de São Paulo sem água 5 dias por semana! O fato é que a água tratada está acabando e, se nada for feito urgentemente, os problemas só tendem a piorar.

A CRISE DA ÁGUA NA CALIFÓRNIA

Aqui na Califórnia, o problema da seca é constante. Mais de 80% do estado está em situação de seca severa, e cientistas já temem que isso perdure até o fim do século. Para se ter uma ideia, em anos normais costumava chover na Califórnia aproximadamente 30% do que chove em São Paulo. Para tentar amenizar o problema da seca, as autoridades californianas estão tentando de tudo até mesmo proibição de piscinas.

Mas, como explicar que um país que possui 16% do total das reservas de água doce do planeta e que tem o maior rio e o maior aqüífero subterrâneo do mundo possa estar passando por um problema tão sério de racionamento de água? O Brasil não utiliza 1% do potencial de água doce que possui. Infelizmente, segundo especialistas, isso está acontecendo devido a um mau gerenciamento. “Sem planejamento não há proteção de nascentes nem dos reservatórios naturais. Isso custa caro para as companhias e para a sociedade, pois depois será preciso despoluir a água ou trazê-la de outro lugar”, diz a coordenadora do Programa Nacional de Combate ao Desperdício de Água, Claudia Albuquerque.

Segundo reportagem da revista Superinteressante, “São Paulo joga fora, por dia, 1 bilhão de litros de água. Isso equivale ao volume da Represa de Guarapiranga, um dos seus quatro reservatórios. Para compensar as perdas, há anos os depósitos são explorados acima da recarga média – tira-se mais água por dia do que os rios e as barragens conseguem repor.”

Uma parte do problema também está no consumidor final que não se preocupa em economizar água. Aqui nos EUA, por exemplo, todas as casas construídas após 1995 são obrigadas por lei a ter descargas com caixas de 6 litros, visando evitar o desperdício.


Represa que integra o Sistema Cantareira
Represa que integra o Sistema Cantareira. Foto: Uol Notícias – Moacyr Lopes Junior/Folhapress

Algumas ações estão sendo feitas aqui na Califórnia e podem servir como “melhores práticas” para o Brasil:

  • Multas: Multar quem desperdiça água em até US$ 500 (em caso de reincidência, o dobro do valor). Se você resolver regar seu jardim com mangueira em San Diego ou tomar um banho em uma banheira de hidromassagem em Los Angeles, será multado. Em San José, se encontrarem um vazamento em sua casa,  terá de arcar com uma multa no valor de US$ 380. Em Santa Bárbara, fontes decorativas garantem uma multa de US$ 350.
  • Cursos obrigatórios para quem desperdiça: Na cidade de Santa Cruz, uma família média tem permissão para gastar no máximo 28 mil litros de água por mês. Em caso de descumprimento, pode pagar um multa e ter que fazer um curso de conscientização de utilização de recursos hídricos e técnicas para reduzir o consumo.
  • Priorizar o consumo humano: em torno de 80% da água utilizada na Califórnia tem como destino as plantações de frutas e verduras. No entanto, as colheitas representam apenas 3% do PIB do estado. Devido a isso, moradores da Califórnia estão questionando um programa federal que fornece água às fazendas.
  • Reciclagem de água: Na região de Orange County, onde está localizado o parque da Disney da Califórnia, há mais de 20 anos a população toma água reciclada do esgoto.

A solução não é simples, mas passa pela conscientização das pessoas para evitar o desperdício de água. Boa sorte aos nossos amigos de São Paulo, pois sabemos que não está nada fácil por aí!

Deixe seu comentário