Inglaterra: Decifrando códigos da 2ª Guerra em Bletchley Park

0

Você, provavelmente, nunca ouviu falar em Bletchley Park. Até algumas décadas atrás, o local era segredo absoluto do governo britânico, como mostrado no filme “O Jogo da Imitação” (2014), vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado e indicado a outras 7 categorias. Quem viu o filme vai entender que é exatamente neste lugar em que um grupo de matemáticos é reunido para quebrar os códigos da Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial, mudando o curso do conflito. E tudo aconteceu exatamente em Bletchley Park. O local deixou de ser segredo e agora abriga um museu incrível! Confira como conhecer e o que encontrar por lá!

BLETCHLEY PARK

Bletchley Park é considerado o local oficial dos “code breakers” (quebradores de código) durante a Segunda Guerra Mundial. Era uma equipe formada por matemáticos, estatísticos e engenheiros que participava de missões da área de Inteligência Britânica com o objetivo de quebrar códigos, entre eles do “Enigma“, utilizado pelos alemães. Bletchley Park era uma área secreta localizada na cidade de Milton Keynes, localizada a pouco mais de 70 km ao norte de Londres.

Chegando a Bletchley Park

Originalmente, o local abrigava uma mansão construída em 1711. Em 1938, o local foi comprado pelo Almirante Sir Hugh Sinclair, chefe do Serviço Secreto de Inteligência. Ele usou seu próprio dinheiro para comprar a propriedade e 235 hectares de terra, já que o governo disse que não tinha o orçamento para fazê-lo. A localização de Bletchley Park era privilegiada, bem pertinho de uma estação de trem e caminho entre Londres e as cidades universitárias de CambridgeOxford, de onde se esperava que os profissionais que trabalhariam na quebra de códigos viriam. Um dos grandes nomes do trabalho desenvolvido em Bletchley Park foi Alan Turing, considerado o pai da Ciência da Computação (ele é o personagem principal do filme “O Jogo da Imitação”, interpretado pelo ator Benedict Cumberbatch).

Lago dentro do complexo de Bletchley Park

O QUE É O “ENIGMA”

Praticamente tudo referente ao Bletchley Park envolve o “Enigma”. Enigma eram uma série de máquinas eletro-mecânicas de criptografia com rotores desenvolvidas para proteger a comunicação comercial, diplomática e militar. Enigma foi inventado pelo engenheiro alemão Arthur Scherbius no final da Primeira Guerra Mundial. Os modelos avançados foram usados comercialmente do final dos anos 1920, e adotados pelos serviços militares e do governo de diversos países, entre eles a Alemanha nazista antes e durante a Segunda Guerra Mundial.

Enigma foi a ferramenta utilizada pela Alemanha para conversar através de mensagens criptografadas

Diversos modelos Enigma diferentes foram produzidos, mas os modelos militares alemães, com 3 rotores, eram os mais complexos (Japão e Itália também tinham os seus “Enigmas”). O código gerado pelo Enigma era considerado inquebrável, pois o movimento contínuo dos rotores provocava diferentes combinações na criptografia. Ao todo, eram em torno de 158.000.000.000.000.000.000 de combinações possíveis! O trabalho desenvolvido em Bletchley Park foi o divisor de águas durante a Guerra e o fator considerado decisivo para a derrota de Hitler.

COMO É A VISITA AO BLETCHLEY PARK

A visita ao Bletchley Park se divide em duas partes: a primeira com exposições no Centro de Visitantes, a segunda em diversos prédios em uma área externa com o apoio de um audio guide. O figura abaixo é do mapa que consta no folheto que recebemos durante a visita. Em seguida, vamos colocar aqui alguns destaques do passeio.

Reprodução do panfleto oficial do Bletchley Park – clique para ampliar

1. BLOCO C: CENTRO DE VISITANTES

É o ponto de início da visita, onde você vai comprar seus tickets e começar a ter contado com o local. Seguindo em frente, há uma sala que exibe um filme da época em que o Bletchley Park estava em pleno funcionamento e alguns objetos importantes. Do lado direito (do mesmo lado que fica um Café) estão exibições provisórias (até 2020) com temas relacionados à tecnologia e guerra. Uma delas falava sobre quebra de códigos durante a Primeira Guerra Mundial.

Entrada para as exposições

As exposições provisórias também são bem interessantes

Para entender de fato o que é o Enigma, como ele funciona e outras informações importantes de Bletchley Park, a exposição mais importante é a que fica à esquerda, perto do local onde você pegará o seu audio guide para a segunda parte do passeio. Há áreas interativas para entender o funcionamento do Enigma. Não deixe de conferir esta exibição antes de deixar o Centro de Visitantes porque o conceito de como tudo foi descriptografado é o principal.

Entenda o funcionamento do Enigma

 2. BLOCO B: MÁQUINA DE TURING

O Bloco B é, definitivamente, um dos mais interessantes do complexo. Há 2 andares de exibições, mas a atração principal é a reprodução da máquina de Turing (Bombing Project), a máquina que foi construída (lembra do filme?) para quebrar os códigos do Enigma. Lá tivemos o prazer de chegar bem na hora que um dos funcionários fazia uma apresentação dando detalhes do funcionamento da máquina. Tivemos o prazer de vê-la em pleno funcionamento.

Pudemos ver a Máquina de Turing em funcionamento

A quantidade imensa de cabos na parte de trás

Ela não é a original porque, depois da guerra, o primeiro-ministro Winston Churchill mandou destruir praticamente todo o trabalho desenvolvido em Bletchley Park. Assim, um trabalho minucioso foi feito por uma equipe para tentar reproduzir a máquina em detalhes. Eles utilizaram, inclusive, os mesmos materiais que foram utilizados no período, para deixá-la o mais próximo da realidade possível. Durante a explicação, o funcionário destacou que diferentemente do filme, não foi Turing que construiu a máquina (afinal, ele é matemático e não engenheiro), mas o conceito por trás do funcionamento é sim dele.

Explicações detalhadas sobre como a máquina foi reconstruída

Há um filme explicativo sobre o funcionamento da máquina de Turing que vale a pena ser visto. Este andar também conta com uma exposição contando sobre a vida do matemático, que foi preso depois da guerra por ser homossexual (homossexualismo era crime no Reino Unido). Há um documento que serviu pedido de desculpas feito pelo governo britânico pelo tratamento dado a ele.

Estátua de Turing

Exposição sobre a vida e a obra do matemático

Pedido de desculpas feito em 2009 pelo primeiro-ministro britânico

Aproveite também para curtir uma exibição de vários exemplos de máquinas Enigma e mais informações interessantes sobre como era feita a criptografia. No prédio há ainda uma área que fala sobre quebra de códigos japoneses e italianos.

Uma aula sobre o funcionamento do Enigma

Diversas máquinas estão em exposição

Aprenda como funcionam os rotores

Reprodução de uma das estações de trabalho com objetos originais da época

Código japoneses também foram decodificados

3. GALPÕES 3, 6, 8 E 11: ESCRITÓRIOS

A construção dos galpões de madeira começou no final de 1939. Esses galpões merecem uma visita rápida, pois mostram o local de trabalho e tentam mostrar como era o cotidiano das pessoas que trabalhavam em Bletchley Park. O galpão 11 é o lugar onde a máquina de Turing ficava e o 8 era o escritório de Alan Turing.

Diversos galpões no complexo

Galpões de escritórios

Escritório em Bletchley Park

Corredor de um dos galpões

Mesa de reunião

Galpão 11, onde ficava a Máquina de Turing

4. MANSÃO

A mansão é o prédio mais bonito do complexo e já existia desde o século XVIII e lá funcionavam escritórios dos diretores e alto escalão do Serviço Secreto. O primeiro grupo de pessoas se mudou-para Bletchley Park em 15 de agosto de 1939. As seções naval, militar e aérea estavam no andar térreo da mansão, juntamente com uma central telefônica, e sala de jantar. O andar superior foi alocado para MI6 (nome do Serviço Secreto de Inteligência).

Entrada da Mansão

Placa comemorando o fato de a quebra de código durante a Segunda Guerra ter sido feita em Bletchley Park

A visita na mansão fica restrita ao andar térreo. Lá estão exposições bem interessantes. Ficamos sabendo de um outro nome de extrema relevância que não é mostrado no filme “O Jogo da Imitação”. Gordon Welchman deu mais agilidade à máquina de Turing, fazendo com que os códigos fossem quebrados em questão de minutos e não mais de horas.

Linda sala da mansão com um busto de Chruchill

Bonita sala da mansão

Homenagem a Gordon Welchman – não deixe de assistir ao video que conta mais sobre ele

Escada que leva ao andar superior, que não é aberto à visitação

Uma das salas de onde eram comandadas as operações

Biblioteca da mansão

Outra sala da mansão com mesas de trabalho

5. GARAGEM E PÁTIO

As áreas externas exibem carros e mostram a importância dos mensageiros em suas motocicletas. Eles que faziam toda a comunicação entre Bletchley Park e o mundo exterior. É possível passar pelo pátio onde ficam cabanas e bangalôs onde eram feitas reuniões secretas.

Pátio externo

Garagem com carros da época

Cabana onde foi decifrado o primeiro código nazista em 1940

ONDE COMER NO BLETCHLEY PARK

Existem algumas opções de onde comer no Bletchley Park:

  • No prédio do Centro de Visitantes há um Café que serve bebidas, sanduíches, snacks e sobremesas.
  • Quando você estiver andando pela área externa, há um quiosque com sorvetes e cafés no Pump Room.
  • O restaurante do Bletchley Park fica no Hut 4 (antigo galpão de Quebra de Códigos da Inteligência Naval da Segunda Guerra Mundial). Há uma variedade de pratos quentes, sanduíches e sobremesas. Foi lá que nós almoçamos durante o nosso dia no complexo.
  • Há também uma sala de chá na Mansão que serve um típico chá da tarde inglês durante os finais de semana.
Almoço no Bletchley Park

CONHEÇA TAMBÉM: MUSEU DA COMPUTAÇÃO

Ao lado do Bletchley Park fica o The National Museum of Computing (Museu Nacional da Computação). A estrutura física do museu é modesta, mas o museu é recheado de máquinas que contam a história da computação e é possível usar e interagir com elas. Um prato cheio para os apaixonados por computadores, tecnologia, video games e computadores antigos. Um dos grandes destaques é a reprodução do Colossus, o primeiro computador da história. Como o Paulo é engenheiro de computação, sentiu-se em casa! Há uma área patrocinada pelo Google falando da importância das mulheres na computação. Devido à proximidade, vale a pena agregar essa visita no mesmo dia. Os ingressos do Museu da Computação e da visita ao Bletchley Park são apartados.

The National Museum of Computing

  • Endereço: Block H, Bletchley Park, Milton Keynes, MK3 6EB, UK
  • Horários: 
    • Galeria do Colossus: diariamente de 10h30 às 17h
    • Demais áreas do museu: terça, sábado e domingo de 12h às 17h
  • Entrada: £7.50 / Tour guiado: £12.50

Placa em Bletchley Park fala sobre o local de nascimento do computador moderno

Mapa do Museu Nacional da Computação

Reprodução do Colossus, o primeiro computador do mundo

COMO CHEGAR AO BLETCHLEY PARK

É possível ir de trem para Bletchley Park a partir da estação London Euston. O trajeto até a estação Bletchley dura entre 35 e 55 minutos. Fique de olho para evitar horários com trajetos mais longos ou com troca de trem. Você pode usar o próprio Oyster Card (cartão de transporte de Londres) ou comprar as passagens (nós sempre compramos pela TrainLine). Chegando na estação Bletchley, siga para a direita e atravesse a rua. O Bletchley Park vai estar a 5 menos de minutos de caminhada.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

Bletchley Park

  • Endereço: The Mansion, Bletchley Park, Sherwood Dr, Bletchley, Milton Keynes MK3 6EB
  • Horários: diariamente de março a outubro de 9h30 às 17h / de novembro a fevereiro de 9h30 às 16h
  • Entrada: £17.75 (o ticket é válido para visitas ilimitadas durante 1 ano)


Veja mais museus de guerra em Londres:

Deixe seu comentário